Sobre a Crimeia

Sobre a Crimeia
“Com 26000km2 (aproximadamente a área do Alentejo) e perto de 2 milhões de habitantes, 60% dos mesmos de ascendência russa, a península da Crimeia tem um estreito istmo de ligação ao continente, pelo que a sua individualização geográfica é clara e o acesso é facilmente limitado. A Crimeia tem uma invejável posição estratégica de controlo do Mar Negro, limitando a sul o Mar de Azov, onde desagua o rio Don (em tempos, considerado o limite entre a Europa e a Ásia), o que também ajuda a explicar um passado de disputas e conflitos militares (como a guerra da Crimeira, entre 1853/4 e 1856).
Esta península foi totalmente conquistada pelos russos em 1783 (Czarina Catarina), assegurando o acesso da Rússia ao Mar Negro. Ocupada pelos alemães na 2ª Guerra Mundial, a cidade de Sebastopol ofereceu uma histórica resistência. Hoje esta cidade, sede da frota russa no Mar Negro, tem um estatuto especial. Em 1944 quase metade da população da Crimeia foi deportada pelos russos. Esta e outras ações de deportação contribuíram para que a população tártara-crimeia ficasse em minoria, numa península fortemente ocupada militarmente pelos russos. Em 1954, Khrushchov cede a Crimeia à Ucrânia, o que suscitou tensão por parte da população russa local. Com a implosão da União Soviética, a Crimeia proclamou a sua independência em 1992, mas depois acedeu ficar integrada na Ucrânia, como república autónoma, continuando a Rússia com as suas bases navais.
Por último, recorde-se o genocídio da população ucraniana sob as ordens de Estaline, em 1932/33, que nos ajuda também a compreender a animosidade dos ucranianos perante os russos.”

Professor Sérgio Claudino – Universidade de Lisboa

5 Março 2014


Esta entrada foi publicada em 12º Ano, Moodle, Notícias. ligação permanente.

Deixar uma resposta